Segunda-feira, 31 de Março de 2008

INFORMAÇÕES DE HORÁRIOS DAS CERIMÓNIAS NA IGREJA

INFORMACÕES SOBRE HORARIOS DA IGREJA

 

 

MISSAS DE CURA e LIBERTAÇÃO DIVINA: SABADOS e DOMINGOS*

16,30

 

EXORCISMOS:

3ª FEIRA, 5ª FEIRA, SABADOS e DOMINGOS DAS 14 ás 18 H

 

 

CONSULTAS DE TEOLOGIA ESPIRITUAL:3ª FEIRA, 5ª FEIRA, SABADOS e DOMINGOS DAS 14 ás 18 H

 

MARCAÇÕES e INFORMAÇÕES PELO TELEFONE:

 

218870037

 

Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas* Rua das Canastras,26 -Lisboa (ao campo das cebolas-metro praça do comércio)

publicado por igrejacatolicaortodoxa às 15:32
link do post | favorito
Domingo, 9 de Março de 2008

EXORCISMO DE PESSOAS,CASAS,COMERCIOS E INDUSTRIAS

EXORCISMO DE PESSOAS, CASAS,COMERCIOS  E INDUSTRIAS
   
    MALDIÇÕES FAMILIARES

Muitas pessoas atribuem a sua falta de sorte a actos de macumba, bruxedos, feitiços, magias do livro de s.cipriano e invejas, o que acontece na verdade mas podem tambem ser vitimas, de maldições familiares.
 As maldições familiares não são mais do que acções do
compartimento mais escuro da magia realizadas contra uma pessoa e toda a sua família, as quais perduram por
mais ou menos cinco gerações.

Apesar de trazerem consigo muitos incómodos e poderem, inclusivamente, causar a morte, os feitiços dos
compartimentos mais escuros da magia cessam após um certo limite de tempo. As maldições são muito mais
maléficas, uma vez que afectam toda a família durante gerações, através da contaminação dos membros mais
directos da pessoa que foi amaldiçoada (filhos, netos, bisnetos, etc.).

O seu objectivo final é a dizimação de toda a família causando muito sofrimento. Pode ter acontecido que um seu
antepassado tenha sido amaldiçoado e esteja, agora, a maldição a reflectir-se na sua pessoa e na sua família.

EFEITOS DE UMA MALDIÇÃO NUMA FAMÍLIA
Falecimentos prematuros; mortes resultantes de tragédias ou por suicídio; múltiplas viuvezes - Esterilidade;
abortos sucessivos; doenças inexplicáveis - Prostituição; toxicodependência; alcoolismo; tendências suicidas,
depressões; alienações; loucura; esquizofrenia - Homicídio; detenções; problemas com a justiça - Divórcios
frequentes; insucessos no amor; solidões afectivas - Situações de insucesso escolar; profissional; negocial -
Sensação de estar continuamente a “dar um passo à frente e dois atrás” - Existência de adversários e inimigos
sem razão aparente; ...
Quais as razões que levam alguém a amaldiçoar uma família?
A vingança - O despeito - Os pactos com demónios
Como é possível saber se sofre de uma maldição familiar?
Analise a sua vida e vida dos seus familiares. Se possível recue no tempo. A resposta será SIM se encontrar 5 ou
mais dos sintomas acima descritos.
É possível remover uma maldição familiar?
Não é fácil, mas é possível. Haverá que ser realizado o  EXORCISMO SOLENE FEITO POR UM BISPO E 2 padres.
   
   

PRAGAS E MALDIÇÕES

"A palavra é dotada de poder para abençoar e amaldiçoar"

A língua é fonte de grandes bênçãos, mas pode também disseminar uma infinidade de males. Com a língua
lançamos pragas que não são mais do que espécies de maldições.
ESPÉCIES
As pragas e maldições podem ter carácter involuntário (fruto da nossa ignorância) ou voluntário (quando, numa
situação de raiva, ira, injustiça, revolta, etc., desejamos MESMO que algo de mal aconteça a alguém).
MALDIÇÕES INVOLUNTÁRIAS
Geralmente temos tendência para pensar que fomos amaldiçoados por alguém ou que nos rogaram uma praga.
Contudo, na maioria das vezes, auto-amaldiçoamo-nos de forma involuntária e recebemos na vida as consequência
pela libertação de palavras e expressões indevidas (ex: Sou um idiota -  não presto mesmo para nada - o meu
destino é sofrer - sou azarado - nasci para o fracasso - nunca vencerei, ...). Quanto ao nosso próximo, devemos ter
o cuidado de não proferir palavras menos edificantes, pois corremos o risco de o amaldiçoar.

É extremamente fácil praticar o acto da maldição contra os nossos filhos. Involuntariamente, é certo, pois os pais
(com raras excepções) apenas querem o melhor para eles. Mas os filhos, por serem cheios de energia e, em
muitos casos, desobedientes e teimosos, facilmente enervam os pais, que usam (sem disso terem consciência)
palavras e expressões de maldição.
MALDIÇÕES VOLUNTÁRIAS
A maldição voluntária ocorre quando é proferida intencionalmente, ou seja, quando desejamos que alguém que nos
feriu ou que, de algum modo, nos causou prejuízo moral, físico ou material, sofra "na pele" as consequências
dessa acção. Dependendo da intensidade da raiva, da entidade que invocamos para amaldiçoar e do facto da
pessoa em causa ter o "corpo aberto", a praga vai actuar. Pode demorar, mas vai atingir o alvo.

O problema é que quem lança uma praga ou maldição esquece ou não conhece ou ignora a chamada "Lei do
Retorno" e, também, vai ser atingido. Mais tarde ou mais cedo, mas vai. E em proporções muito maiores do que a
praga ou maldição que proferiu e atingiu o outro.
É possível remover uma praga ou maldição?
É possível. Haverá que ser executado o EXORCISMO e a protecção contra pragas e maldições para a vida futura.

ONDE SE REALIZAM EXORCISMOS EM PORTUGAL:
SEMINÁRIO DE SANTA FILOMENA 

TRAVESSA DE SANTO ANTÓNIO DA SÉ, 5 -LISBOA
TEL. 218880039


publicado por igrejacatolicaortodoxa às 14:11
link do post | favorito
Quarta-feira, 5 de Março de 2008

PORQUE SOMOS CATOLICOS ORTODOXOS

A IACO
IGREJA APOSTOLICA CATOLICA ORTODOXA foi fundada para a propagação do Cristianismo em toda a Península Ibérica, e com possíveis ramificações em outros países e continentes, que se separa de todas as Igrejas Institucionais existentes que, pelos muitos erros, que algumas têm cometido ao longo dos anos, quase desde o momento em que nasceram, trocando em muitos momentos a beleza dos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, na sua simplicidade, humildade, pobreza e amor ao próximo, por uma instituição altamente ditatorial e intolerante, onde impera a pompa e o absolutismo, com o prejuízo do verdadeiro Cristianismo, que se encontra nos humildes, nos operários, nas prostitutas e prostitutos, nos doentes, nos marginalizados, discriminados e mal amados por esta sociedade injusta e imoral, verdadeiros e legítimos representantes de Jesus Cristo, o Profeta de Nazaré, Filho Unigénito de Deus.

 
 A IACO  tem por estrutura os ensinamentos bíblicos do Antigo e Novo Testamento.

 

 A IACO nasce como as Igrejas dos primeiros séculos do Cristianismo, que eram nada mais do que Igrejas Nacionais, que viviam e se desenvolviam com autonomia completa, sem vassalagem ao Bispo de Roma ou ao Patriarca de Constantinopla, ou a qualquer outro Patriarca, Metropolita, Arcebispo ou Primaz. Como escreveu Tertuliano: "As nossas numerosas Igrejas reputam-se todas à mesma Igreja, a primeira de todas fundada pelos Santos Apóstolos de Jesus Cristo e Mãe de todas as demais. São todas apostólicas e, juntas, não vêem a ser mais do que uma só, pela comunicação da paz, pelo mútuo tratamento de irmãos, pelos vínculos de hospitalidade que unem a todos os fiéis".

 

A IACO  e os seus membros de pleno direito, firmam-se e crescem na sua fé em Jesus Cristo, sem medo de "falsas excomunhões" e de "condenações sem fim", por parte de alguns dos seus irmãos na mesma fé em Cristo Jesus, que ainda se deliciam em usar em pleno séc. XX, a arma unicamente política da Idade Média, esquecendo-se totalmente da "Carta Magna Evangélica" do Sermão da Montanha.

Nascemos pela nossa fé em Cristo e na certeza de que somos filhos de Deus e que como tal desejamos viver, crescer e morrer, sem medo que nos vomitem o seu ódio, por não continuarmos submetidos á sua vontade e à sua ditadura anti-cristã, déspota e discriminatória.

 

A IACO  nasce com a certeza de que toda a espécie de fraqueza, miséria, humildemente reconhecida e confessada, atrairá sobre a Santa Igreja a compaixão e a misericórdia de Deus, ao passo que o orgulho excitará à indignação e condenação de Deus.

 

Acreditamos firmemente que não é possível que o mundo leve a sério as organizações de falsários e mistificadores que, século após século, vêm mentindo e enganando os cristãos e a humanidade. O sangue dos nossos irmãos, não permite que os cristãos e a humanidade sejam sufocados constantemente, acorrentados e aprisionados por homens que representam no momento os sacerdotes da Antiga Lei, os mesmos da crucifixão de Jesus Cristo. Aqueles que foram redimidos por Cristo Jesus e nos redimiram com o seu sangue nos campos de combate, vítimas daqueles que se diziam representantes de Jesus Cristo na terra, não permitem que sejamos covardes numa hora destas, que devemos restaurar a nossa Fé Católica Ortodoxa.

 

Acreditamos que as instituições humanas e "divinas" que nos condenam, acusam e excomungam, assim procedem porque os seus representantes, os hierarcas e chefes máximos, papas e primazes, têm vindo a colocar através dos séculos os seus interesses pessoais, políticos e sobretudo económicos, acima dos interesses da comunidade cristã e dos cidadãos em geral, colocando-se como déspotas e autocratas, seguindo uma postura e comportamento, em tudo contrário aos ensinamentos de Jesus, de quem se intitulam únicos representantes e vigários. A Igreja de Cristo não é dirigida por homens que se esquecem do carácter sobrenatural da sua missão na terra, e muito menos por aqueles que afirmam nas Eucaristias que os dons de Deus são distribuídos consoante o dinheiro que é oferecido á Igreja. Os dons de Deus não se vendem.

 

Acreditamos que a Igreja de Jesus Cristo na terra, não pode ser uma Igreja do poder e do domínio, da burocracia e da discriminação, da marginalização, da repressão e da inquisição.

 

Acreditamos que a aliança de Deus com os homens, os pobres e os humildes, está em contradição com a arrogância, de qualquer espécie de poder que condena e elimina o inocente porque é incómodo.

 

Acreditamos e temos consciência de que, os originais, os espontâneos, os não conformistas, os inflexíveis perante as humilhações, os lineares e indomáveis capazes de desmascarar compromissos sibilinos e condicionamentos opressores, oportunismos indignos e servilismos despropositados, ficam por vezes isolados, são progressivamente marginalizados, e depois descredibilizados, expulsos e escarnecidos, suspeitos e obrigados a sofrer inúmeras frustrações com origem em atordoadas e insinuações gravosas cozinhadas nas suas costas.

 

Acreditamos que a unidade do Espírito Santo exige não a uniformidade, mas a diversidade, permanecendo cada um com a sua própria personalidade em benefício de todos. Na dinâmica desta troca se constrói e cresce a Santa Igreja de Jesus Cristo para proveito comum.

 

Acreditamos que a moral não é uma coisa estática; é um processo no qual valores passados são testados de novo, postos à prova em contextos de vida diferentes. Por vezes, estes valores éticos são repensados à luz da experiência de vida contemporânea, revelam-se como não plenamente adequados e por conseguinte, carecem de ser re-adaptados à autenticidade da mensagem de Cristo que, não sendo nunca estática, é sempre e sempre, original.

 

Acreditamos plenamente no que afirma São Bernardo, quando escreve: "o zelo de muitos e muitos eclesiásticos serve apenas para garantir o seu lugar. Tudo é feito em razão da carreira, nada ou bem pouco em função da santidade. Se quisesse tentar evitar redundâncias e ser mais directo dizia: «Por favor, isto não é conveniente, não está conforme aos tempos, não é adequado à vossa grandeza; tende em conta a dignidade da vossa própria pessoa»."

 
publicado por igrejacatolicaortodoxa às 13:17
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


.posts recentes

. INFORMAÇÕES DE HORÁRIOS D...

. EXORCISMO DE PESSOAS,CASA...

. PORQUE SOMOS CATOLICOS OR...

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds