Segunda-feira, 31 de Março de 2008

INFORMAÇÕES DE HORÁRIOS DAS CERIMÓNIAS NA IGREJA

INFORMACÕES SOBRE HORARIOS DA IGREJA

 

 

MISSAS DE CURA e LIBERTAÇÃO DIVINA: SABADOS e DOMINGOS*

16,30

 

EXORCISMOS:

3ª FEIRA, 5ª FEIRA, SABADOS e DOMINGOS DAS 14 ás 18 H

 

 

CONSULTAS DE TEOLOGIA ESPIRITUAL:3ª FEIRA, 5ª FEIRA, SABADOS e DOMINGOS DAS 14 ás 18 H

 

MARCAÇÕES e INFORMAÇÕES PELO TELEFONE:

 

218870037

 

Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas* Rua das Canastras,26 -Lisboa (ao campo das cebolas-metro praça do comércio)

publicado por igrejacatolicaortodoxa às 15:32
link do post | favorito
Quarta-feira, 12 de Março de 2008

EXPLICAÇÃO SOBRE O EXORCISMO

Nas culturas egípcia, babilônica, assíria e judaica, atribuíam-se certas doenças e calamidades naturais à acção dos demônios. Para afastá-los, recorria-se a algum esconjuro ou exorcismo. A cultura ocidental recebeu essas idéias através da Bíblia e do cristianismo primitivo. No cristianismo, exorcismo (do grego exorkismós, "acto de fazer jurar", pelo latim exorcismu) é a cerimônia que visa esconjurar os espíritos maus, forçando-os a deixar os corpos possessos ou dominar sua influência sobre pessoas, objetos, situações ou lugares. Quando objetiva a expulsão de demônios, chama-se Exorcismo Solene e deve fazer-se de acordo com fórmulas consagradas, que incluem aspersão de água benta, imposição das mãos, conjurações, sinais da cruz, recitação de orações, salmos, cânticos, etc. Além disso, o ritual católico do exorcismo pode ser executado por sacerdotes somente quando são expressamente autorizados por bispos.

Possessões: Possessão é o estado ou condição em que o corpo e (ou) a mente de um indivíduo são supostamente possuídos ou dominados por uma entidade (um ser, força, ou demónio) que lhes é externa, ou que não se manifesta habitualmente nas atividades da vida diária. A possessão, considerada como experiência de natureza psicológica e social, pode ser verificada individual ou coletivamente, e ter caráter inesperado, ou estar submetida a algum tipo de controle ritual; em diversas sociedades e culturas, figura como episódio ou experiência central da vida religiosa. Podemos dividir, genericamente, as formas de possessão em quatro categorias. Encosto O espírito fica próximo à pessoa, mas a influência é pequena. Neste caso, banhos de água benta e sal exorcisado ou orações como o Pai-Nosso ou o Credo, afastam este espírito inferior. Geralmente estes espíritos são de pessoas que desencarnaram e pertencem à família do possuído. Espírito opressivo O espírito tem a capacidade de "vampirizar" a energia do indivíduo. Os efeitos são sentidos como um cansaço ou vontade de chorar que podem cessar de um momento para outro. Indica-se neste caso, que se utilize um saquinho que contenha medalhas de santos bentos, sempre junto ao corpo para neutralizar a presença deste espírito. Também os banho de água benta com sal exorcisado, são benéficos neste caso. A leitura do salmo 23 é o mais indicado contra o espírito opressivo.

Obsessão O espírito consegue ficar de maneira tão dominante no corpo astral do indivíduo que pode até mesmo mudar o modo de falar e fazer coisas que normalmente não faria no dia-a-dia. Chega até mesmo a não reconhecer parentes e pessoas próximas de seu convívio.

Possessão demoníaca Neste caso, o espírito toma o corpo da pessoa, fazendo com que ocorram até fenômenos de "poltergeist" (conjunto de fenômenos produzidos espontaneamente, que consiste em ruídos e deslocamento de objetos, podendo ter duração indeterminada).

Exorcismos na Bíblia O Antigo Testamento, embora reconheça a atuação do demônio a partir da tentação e da queda de Adão no paraíso, praticamente não alude a uma acção maléfica direta do diabo sobre os homens. Foi no judaísmo antigo que se atribuíram ao demônio intervenções muito concretas na vida cotidiana. O Livro de Tobias (século II a.C.), de influência assíria, narra um exorcismo praticado mediante a oração e utilização das vísceras de um peixe. No Novo Testamento, que não apresenta modificações essenciais no que se refere ao exorcismo, o Evangelho de Marcos é o que insiste de maneira mais realista nos exorcismos praticados por Jesus e por seus discípulos. Em certos casos, trata-se de expulsar o demônio do corpo de possessos ou lunáticos. Em outros, da cura de enfermidades atribuídas à acção do demônio. Os evangelistas se servem dessas vigorosas ilustrações para demonstrar a vitória de Jesus sobre Satanás e também para mostrar como seu povo se libertou do pecado. "Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso" (João - 12:31). Esses milagres seriam um sinal da instauração do reino de Deus. "Se, porém, eu expulso demônios pelo Espírito de Deus, certamente é chegado o reino de Deus sobre vós" (Mt - 12:28). Exorcismos na história da Igreja As curas e os exorcismos foram comuns na igreja primitiva. Com o reconhecimento oficial da Igreja sob o imperador Constantino, os exorcismos carismáticos, realizados informalmente por qualquer cristão, deram lugar à institucionalização da função do exorcista. O Rituale Romanum reuniu mais tarde, diversos ritos de exorcismos para situações variadas. Também as igrejas reformadas estabeleceram tais ritos. A Igreja Católica, como também algumas denominações protestantes, admite os exorcismos ordinários, contidos no rito do batismo, como símbolo da libertação do pecado e do poder do demônio. Pratica-se o exorcismo ordinário na bênção da água batismal e na sagração dos santos óleos. Os exorcismos solenes, que têm por objetivo expulsar o demônio do corpo de um possuído, são práticas raríssimas e só confiadas, mediante permissão episcopal, a sacerdotes muito experientes. O exorcismo católico inicia-se com a expressão latina "Adjure te, spiritus nequissime, per Deum omnipotentem" (eu te ordeno, espírito maligno, pelo Deus Todo-Poderoso). O processo pode ser longo e extenuante, chegando a se estender por vários dias. A possessão está associada ao mal. O processo de libertação é feito de forma dramática e violenta. Os exorcistas recorrem as preces, água-benta, defumadores, essências de rosas e arruda. O sal que é associado à pureza espiritual também é utilizado. Porém, o cristianismo deste século tem uma atitude dividida em relação ao exorcismo. Por um lado, mantém distância de sua prática, atuando mais próximos a psiquiatras e médicos e autorizando estudos para esclarecer este fenômeno. Mesmo assim, a Igreja oculta os casos confirmados de possessão a prática dos rituais de expulsão. Ainda, o Papa João Paulo II declarou ter aplicado o exorcismo sob uma jovem, em 1982.

Dom Armando

publicado por igrejacatolicaortodoxa às 18:58
link do post | favorito
Domingo, 9 de Março de 2008

EXORCISMO DE PESSOAS,CASAS,COMERCIOS E INDUSTRIAS

EXORCISMO DE PESSOAS, CASAS,COMERCIOS  E INDUSTRIAS
   
    MALDIÇÕES FAMILIARES

Muitas pessoas atribuem a sua falta de sorte a actos de macumba, bruxedos, feitiços, magias do livro de s.cipriano e invejas, o que acontece na verdade mas podem tambem ser vitimas, de maldições familiares.
 As maldições familiares não são mais do que acções do
compartimento mais escuro da magia realizadas contra uma pessoa e toda a sua família, as quais perduram por
mais ou menos cinco gerações.

Apesar de trazerem consigo muitos incómodos e poderem, inclusivamente, causar a morte, os feitiços dos
compartimentos mais escuros da magia cessam após um certo limite de tempo. As maldições são muito mais
maléficas, uma vez que afectam toda a família durante gerações, através da contaminação dos membros mais
directos da pessoa que foi amaldiçoada (filhos, netos, bisnetos, etc.).

O seu objectivo final é a dizimação de toda a família causando muito sofrimento. Pode ter acontecido que um seu
antepassado tenha sido amaldiçoado e esteja, agora, a maldição a reflectir-se na sua pessoa e na sua família.

EFEITOS DE UMA MALDIÇÃO NUMA FAMÍLIA
Falecimentos prematuros; mortes resultantes de tragédias ou por suicídio; múltiplas viuvezes - Esterilidade;
abortos sucessivos; doenças inexplicáveis - Prostituição; toxicodependência; alcoolismo; tendências suicidas,
depressões; alienações; loucura; esquizofrenia - Homicídio; detenções; problemas com a justiça - Divórcios
frequentes; insucessos no amor; solidões afectivas - Situações de insucesso escolar; profissional; negocial -
Sensação de estar continuamente a “dar um passo à frente e dois atrás” - Existência de adversários e inimigos
sem razão aparente; ...
Quais as razões que levam alguém a amaldiçoar uma família?
A vingança - O despeito - Os pactos com demónios
Como é possível saber se sofre de uma maldição familiar?
Analise a sua vida e vida dos seus familiares. Se possível recue no tempo. A resposta será SIM se encontrar 5 ou
mais dos sintomas acima descritos.
É possível remover uma maldição familiar?
Não é fácil, mas é possível. Haverá que ser realizado o  EXORCISMO SOLENE FEITO POR UM BISPO E 2 padres.
   
   

PRAGAS E MALDIÇÕES

"A palavra é dotada de poder para abençoar e amaldiçoar"

A língua é fonte de grandes bênçãos, mas pode também disseminar uma infinidade de males. Com a língua
lançamos pragas que não são mais do que espécies de maldições.
ESPÉCIES
As pragas e maldições podem ter carácter involuntário (fruto da nossa ignorância) ou voluntário (quando, numa
situação de raiva, ira, injustiça, revolta, etc., desejamos MESMO que algo de mal aconteça a alguém).
MALDIÇÕES INVOLUNTÁRIAS
Geralmente temos tendência para pensar que fomos amaldiçoados por alguém ou que nos rogaram uma praga.
Contudo, na maioria das vezes, auto-amaldiçoamo-nos de forma involuntária e recebemos na vida as consequência
pela libertação de palavras e expressões indevidas (ex: Sou um idiota -  não presto mesmo para nada - o meu
destino é sofrer - sou azarado - nasci para o fracasso - nunca vencerei, ...). Quanto ao nosso próximo, devemos ter
o cuidado de não proferir palavras menos edificantes, pois corremos o risco de o amaldiçoar.

É extremamente fácil praticar o acto da maldição contra os nossos filhos. Involuntariamente, é certo, pois os pais
(com raras excepções) apenas querem o melhor para eles. Mas os filhos, por serem cheios de energia e, em
muitos casos, desobedientes e teimosos, facilmente enervam os pais, que usam (sem disso terem consciência)
palavras e expressões de maldição.
MALDIÇÕES VOLUNTÁRIAS
A maldição voluntária ocorre quando é proferida intencionalmente, ou seja, quando desejamos que alguém que nos
feriu ou que, de algum modo, nos causou prejuízo moral, físico ou material, sofra "na pele" as consequências
dessa acção. Dependendo da intensidade da raiva, da entidade que invocamos para amaldiçoar e do facto da
pessoa em causa ter o "corpo aberto", a praga vai actuar. Pode demorar, mas vai atingir o alvo.

O problema é que quem lança uma praga ou maldição esquece ou não conhece ou ignora a chamada "Lei do
Retorno" e, também, vai ser atingido. Mais tarde ou mais cedo, mas vai. E em proporções muito maiores do que a
praga ou maldição que proferiu e atingiu o outro.
É possível remover uma praga ou maldição?
É possível. Haverá que ser executado o EXORCISMO e a protecção contra pragas e maldições para a vida futura.

ONDE SE REALIZAM EXORCISMOS EM PORTUGAL:
SEMINÁRIO DE SANTA FILOMENA 

TRAVESSA DE SANTO ANTÓNIO DA SÉ, 5 -LISBOA
TEL. 218880039


publicado por igrejacatolicaortodoxa às 14:11
link do post | favorito
Domingo, 2 de Março de 2008

O EXORCISMO QUE CURA A ALMA

O EXORCISMO QUE CURA A ALMA O Exorcista é por norma um bispo,que enriquecido com os dons carismáticos que Cristo concedeu aos apostolos e por mandato deste e no nome do Pai,filho e Espírito Santo,faz uma oração especial na qual,na forma Imperativa,ordena a Satanás e aos espiritos tenebrosos para sairem do corpo de uma pessoa, lugar, casa ou coisa. O exorcista não toca no corpo da pessoa a não ser com a estola e a santa cruz na cabeça. utiliza agua benta,os santos óleos e o incenso próprio para o exorcismo. Os sintomas da pessoa que necessita de exorcismo são: aversão ao sagrado,não gostar de entrar na igreja, bocejos irrefreáveis e ataques de sono, assim como emite arrotos e vómitos especialmente quando reza.Sensibilidade á agua benta,reações violentas embora normalmente a pessoa seja pacifica,blasfemar,pode mudar a voz ouvir sons estranhos, sentir presenças. A cura se alcança sempre embora varie o tempo que demora. Depois da cura é necessário viver em graça,fazendo uma boa confissão,viver a Eucaristia com a comunhão dentro da missa e a adoração do Santissimo Sacramento. Local onde se realiza SANTUARIO DE NOSSA SENHORA DAS LAGRIMAS E APARECIDA Rua das Canastras,26- Lisboa* tel. 218870037
publicado por igrejacatolicaortodoxa às 13:46
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


.posts recentes

. INFORMAÇÕES DE HORÁRIOS D...

. EXPLICAÇÃO SOBRE O EXORCI...

. EXORCISMO DE PESSOAS,CASA...

. O EXORCISMO QUE CURA A AL...

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds