Quarta-feira, 5 de Março de 2008

A VIRGEM MARIA NOSSA MÃE

A Sagrada

Virgem Maria

 

Incansável protectora e

defensora do mundo cristão

 

Bispo Aleksandr Mileant

Traduzido por Boris Poluhoff

  

 

 


Conteúdo: A Veneração da Virgem Maria. A Vida terrena da Virgem Maria. Os milagres recentes e aparições da Virgem Maria. Algumas das suas imagens milagrosas. Orações seleccionadas.

 


 

Mãe de Deus e Mãe da Igreja (Pe. Lev Lhébedev).

 

 

A Veneração da Virgem Maria.

 

"Por você se alegra, Cheia de Graças, toda a vida animal, todos os Anjos e todos os seres humanos."

 

Desde os primeiros tempos do cristianismo, a Sagrada Virgem Maria, pelas suas graças maravilhosas, por ser a escolhida de Deus e pela sua permanente ajuda aos necessitados, sempre obteve a veneração e a gratidão dos cristãos.

A veneração da Sagrada Virgem Maria, começou desde o momento em que o Arcanjo Gabriel A saudou e lhe comunicou o mistério da maternidade divina do Filho de Deus: "Avé Maria! Cheia de Graça o Senhor é convosco! Bendita és tu entre as mulheres e Bendito é o fruto do teu ventre!"

Com esta mesma saudação, acrescentada das palavras: "Bendito é o Fruto de teu ventre!" a Sagrada Virgem Maria foi recebida por Isabel, mulher do sacerdote Zacarias, à qual o Espírito Santo revelou que estava perante a Mãe de Jesus Cristo (Lucas 1:41).

A dedicada veneração da Sagrada Virgem Maria na igreja cristã é realizada em numerosas datas, que a igreja destaca como recordações de inúmeras circunstâncias da vida da Sagrada Virgem. Importantes santos e pastores da igreja elaboraram hinos preces em honra da Virgem Maria, e se expressaram profundamente inspirados espiritualmente por Ela. Juntamente com esta intensa veneração da Sagrada Virgem Maria, é importante para a nossa própria aprendizagem sabermos como Ela viveu, como Se preparou, como cresceu e amadureceu até este elevado nível de evolução, - ser o receptáculo da Palavra de Deus.

As escrituras do Antigo Testamento, que previram o nascimento do Filho de Deus, fazem referências também à Sagrada Virgem Maria. Desta forma, a primeira menção ao Cristo Salvador, que já incluía também uma profecia em relação à Sagrada Virgem, foi feita no julgamento a serpente:

"Criarei o litígio (como sinónimo de diferença) entre você e a Mulher e entre a sua semente e a semente Dela" (Génesis 3:15). a profecia que já se refere ao futuro Cristo-Salvador, aqui nesta citação é representado pela referência à semente Dela enquanto em todas as outras situações os descendentes são citados como sementes de qualquer um dos descendentes masculinos.

O profeta Isaías clarifica mais ainda esta profecia, indicando que Ela, a Mulher escolhida para gerar o Messias-Emanuel, será Virgem: "Pois por isso o Senhor Deus vos dará este sinal" - diz o profeta aos pouco crentes descendentes de David. E apesar do termo "Virgem" parecer estranho aos antigos povos judeus, (uma vez que necessariamente pressupõe uma relação conjugal), eles não se atreveram a trocar a palavra "Virgem" por outra do tipo "Mulher". Portanto: "Uma Virgem conceberá e dará a luz um filho, e seu nome será Emanuel" - nome que significa: Deus está connosco" (Isaías 7:14).

 

A vida terrena

da Mãe de Deus

Com base nas escrituras sagradas e na herança histórica da Igreja

 

O evangelista Lucas, que conheceu de perto a Sagrada Virgem Maria, registou a partir das palavras Dela, inúmeros factos importantes relativos aos primeiros anos da Sua vida. O evangelista Lucas era médico e também pintor, tendo pintado uma imagem da Virgem, ícone a partir do qual outros pintores fizeram outras cópias.

 

O nascimento da Sagrada Virgem Maria. Quando se aproximava o momento do nascimento do Salvador do mundo na cidade de Nazaré, na Galileia, morava aí um descendente do rei David, chamado Joaquim com a sua mulher, Ana. Ambos eram pessoas reconhecidamente de boa índole e eram conhecidos pela sua compaixão, humildade e generosidade. Joaquim e Ana atingiram uma idade muito avançada, mas não tinham filhos. Este facto entristecia-os especialmente. Mas apesar da idade, eles continuavam a orar incessantemente e a pedir a Deus para que Ele lhes concedesse um filho. Para isso fizeram até uma promessa de que se eles recebessem a dádiva do nascimento de um filho, o destinariam para servir a Deus. Naqueles tempos não ter filhos era considerado um castigo divino pelos pecados cometidos. Joaquim em particular sofria muito com a falta de filhos, principalmente porque, de acordo com a as profecias, na sua família deveria nascer o Messias-Jesus. Pela paciência e fé Deus deu a Joaquim e Ana uma grande alegria: finalmente conceberam uma filha e a Ela foi dado o nome de Maria, o que em hebreu significa: "Senhora, Esperança."

 

A entrada no Templo. Quando a Virgem Maria completou 3 anos, os seus beneméritos pais prepararam-na para cumprir a promessa fixada por eles: levaram-na a um templo em Jerusalém para que Ela pudesse dedicar a Sua vida a Deus. A Virgem Maria ficou a residir junto ao templo. Aí, Ela e outras companheiras estudavam as leis de Deus e executavam trabalhos manuais, rezavam e liam as Escrituras Sagradas. Junto a este templo a Virgem Maria viveu perto de 11 anos, cresceu, desenvolvendo em si uma profunda compaixão, em tudo entregue à vontade de Deus, imensamente modesta e dedicada em seus esforços. Desejando viver e dedicar-se exclusivamente a Deus, ela fez um voto de não se casar e permanecer para sempre virgem.

 

A Sagrada Virgem Maria e José. Os já bastante idosos Joaquim e Ana não viveram muito mais tempo e a Virgem Maria ficou órfã. Quando completou 14 anos, Ela não poderia mais continuar, pelas leis, a residir junto ao templo e era necessário que se casasse. O pároco principal, conhecendo o voto por Ela feito, para não o prejudicar, celebrou apenas pró-forma o Seu casamento com um parente distante, que enviuvara na casa dos 80 anos - um ancião de nome José. José comprometeu-se a cuidar Dela e a proteger a Sua condição de Virgem. José vivia em Nazaré. Ele também era descendente da família de David, mas era um homem sem posses e trabalhava como marceneiro. Do seu primeiro casamento José tivera os filhos Judas, Ócio, Simão e Jacób., os quais nas escrituras são denominados "irmãos" de Jesus. A Sagrada Virgem Maria, levava na casa de José a mesma vida modesta e disciplinada que levara antes no templo.

 

A Anunciação. No sexto mês após a aparição do Arcanjo Gabriel a Zacarias, por motivo do nascimento de São João Baptista, o mesmo Arcanjo Gabriel foi enviado por Deus para a cidade de Nazaré ao encontro da Sagrada Virgem Maria com a feliz notícia que Deus A escolhera para ser a Mãe do Salvador do mundo. O Arcanjo Gabriel surge perante Ela e anuncia-Lhe: "Deus te salve, cheia de graça; o Senhor é contigo. Abençoada és Tu entre as mulheres!" - Ela ao ouvir estas palavras, perturbou-se e começou a pensar que saudação seria esta. O Arcanjo disse-lhe: "Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus, eis que conceberás no teu ventre e darás a luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. Este será grande, será chamado Filho do Altíssimo e o Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David, reinará sobre a casa de Jacob eternamente e o Seu reino não terá fim."

Maria disse ao anjo: "Como se fará isso, pois eu não conheço varão?" Respondendo o Arcanjo disse-lhe: "O Espírito Santo descerá sobre Ti e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra, por isso mesmo o Santo que há de nascer de Ti, será chamado Filho de Deus. Eis que também Isabel, tua parente, concebeu um filho na sua velhice e este é o sexto mês da que se dizia estéril, porque a Deus nada é impossível." Então disse Maria: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em Mim segundo a tua palavra." E o Arcanjo afastou-se dela.

 

Maria visita Isabel. A Sagrada Virgem Maria, após ter recebido do Arcanjo a notícia que a sua parente Isabel, mulher de Zacarias, daria proximamente à luz um filho, apressou-se a ir visitá-la. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Aconteceu que apenas Isabel ouviu a saudação da Virgem Maria, o menino saltou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo e constatou Que sim, a Virgem Maria fora consagrada para ser a Mãe de Jesus Cristo. Exclamou em voz alta "Bendita és Tú entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre. Donde a mim esta dita, que a mãe do meu Senhor venha ter comigo?" Então a Virgem Maria disse: "Minha alma glorifica o Senhor, e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador." Porque lançou os olhos para a humilhação da sua serva, portanto eis que de hoje em diante, todas as gerações me chamarão Bem-Aventurada. Porque o Todo-Poderoso fez em mim grandes coisas, o Seu nome é santo. E a sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que o temem. A Virgem Maria ficou a morar durante aproximadamente 3 meses junto a Isabel e depois voltou para sua casa em Nazaré.

Deus informou também José do nascimento de Cristo. O anjo de Deus, apareceu-lhe em sonhos e comunicou-lhe que a Virgem Maria iria ter um filho, por obra do Espírito Santo, como Deus já havia avisado através do profeta Isaías (7:14) e ordenou que Lhe fosse dado o nome de "Jesus, nome que em hebraico significa Salvador, porque Ele salvará as pessoas de seus pecados."

Os acontecimentos seguintes relatados pelo Evangelho, recordam a Virgem Maria ligada directamente aos factos da vida de seu Filho - Nosso Senhor Jesus Cristo. Os factos falam Dela aquando do nascimento de Cristo em Belém, depois na altura da circuncisão, das saudações dos reis magos, da apresentação no templo no 40o dia, da fuga para o Egipto, da residência em Nazaré, da viagem a Jerusalém na Páscoa, quando Cristo completou 12 anos e assim por diante. Estes factos não necessitam de maiores esclarecimentos. Porém é importante destacar que apesar do Evangelho citar a Virgem Maria sucintamente, estas referências demonstram com clareza aos leitores a grandeza da sua condição espiritual: a Sua modéstia e humildade, a Sua enorme fé, paciência, coragem, aceitação da vontade de Deus e total entrega e dedicação a Seu Filho, Filho de Deus. Nós vemos portanto porque foi Ela, pelas palavras do Arcanjo, contemplada para adquirir a graça de Deus.

O primeiro milagre realizado por Jesus Cristo, foi num casamento na Galileia, o qual nos dá com clareza a imagem da Virgem Maria como Defensora perante Seu Filho de todas as pessoas que se encontram em dificuldades. Percebendo a falta de vinho na festa de casamento, a Virgem Maria chama para este facto a atenção de Seu Filho e, apesar de Cristo lhe ter respondido como se se estivesse a esquivar: "O que diz isto respeito a Mim e a Você Mulher? Ainda não chegou a minha hora." Ela, sem se perturbar com esta meia resposta, estando confiante que o Filho não deixaria um pedido Dela sem atenção adequada, disse aos servos: "O que Ele lhes disser, façam!" Como é clara neste alerta aos servos a preocupada compaixão da Mãe de Cristo, para que o iniciado por Ela seja conduzido até um final feliz! De facto, o seu pedido não ficou sem ser atendido e Jesus Cristo realizou aqui seu primeiro milagre, tirando de uma situação constrangedora pessoas que não tinham muitas posses, após o que "acreditaram Nele seus discípulos" (João 2:11).

Os factos seguintes narrados pelo Evangelho mostram-nos a Virgem Maria, permanentemente ansiosa por Seu Filho, acompanhando as Suas viagens e deslocações, próxima Dele em diversas circunstâncias difíceis e preocupada com as condições do seu repouso doméstico e paz, coisas que Ele nunca aceitava ou considerava como desnecessárias. Finalmente, vemo-La em pé e numa indescritível dor junto ao seu Filho crucificado, ouvindo as suas últimas palavras e pedidos (Cristo entregou-A ao seu discípulo preferido, para que cuidasse dela). Nenhuma palavra de queixa ou desespero sai de Sua boca. Ela entrega tudo à vontade de Deus.

Ainda de forma resumida fala-se sobre a Virgem Maria no livro dos Actos dos Apóstolos, quando sobre Ela e sobre os apóstolos no dia de Pentecostes pousa o Espírito Santo em forma de línguas de fogo. Após este facto, segundo a Tradição da igreja, Ela viveu mais 10 ou 20 anos. O apóstolo João, a pedido de Nosso Senhor Jesus Cristo, acolheu-a em sua casa com grande amor, como se fosse Sua mãe, e cuidou Dela até o Seu final. Quando a fé cristã se espalhou por outros países, muitos cristãos vinham de países distantes para A ver e ouvir. Desta época em diante, a Sagrada Virgem Maria tornou-se para todos os discípulos de Cristo uma Mãe comum e um elevado exemplo de conduta a ser seguido.

 

O falecimento. Certa vez, quando a Virgem Maria estava a rezar no monte Eleon, perto de Jerusalém, apareceu-lhe o Arcanjo Gabriel com um ramo de figueira em suas mãos e diz-Lhe que dali a 3 dias a Sua existência na Terra estará terminada e que Jesus Cristo virá buscá-la para a levar com Ele. Cristo fez tudo de maneira a que nessa época todos os apóstolos vindos de países diferentes estivessem todos em Jerusalém. No momento do seu final, uma luz intensa iluminou o quarto onde estava a Virgem Maria. Jesus Cristo, rodeado de Seus anjos surgiu e recebeu a Sua alma puríssima. Os apóstolos sepultaram o sagrado corpo da Virgem Maria, de acordo com a Sua vontade, ao pé da montanha Eleon, no Jardim Gethsemani, na mesma caverna-túmulo onde estavam sepultados os corpos de seus pais e também de José. Durante o funeral aconteceram muitos milagres. Apenas por tocarem o caixão da Virgem Maria, cegos começavam a ver, maus espíritos eram expulsos dos possuídos e todas as doenças curadas. Três dias após o funeral da Virgem Maria, chega a Jerusalém, atrasado, o apóstolo Tomé. Tomé estava muito triste porque não conseguira despedir-se da Mãe de Cristo e do fundo da alma desejava orar e prestar homenagens em seu túmulo. Quando abriram a caverna, onde a Virgem Maria havia sido sepultada, não encontraram o Seu corpo, somente os véus utilizados no funeral. Impressionados, os apóstolos voltaram para suas casas. À noite durante as suas orações eles ouviram anjos a cantar. Olhando para cima, os apóstolos viram no alto, no ar, a Virgem Maria cercada de anjos, iluminada por uma intensa luz celestial. Ela disse aos apóstolos: "Alegrem-se, Eu estou com vocês todos os dias!" Esta sua promessa de ajudar e defender os cristãos Ela mantém até os dias de hoje, assumindo-se como nossa Mãe celeste. Em virtude de seu imenso amor e ajuda poderosa, os cristãos desde épocas antigas consideram-Na e procuram-Na em busca de ajuda, chamando-A defensora incansável de todos os cristãos existentes, alegria de todos os que sofrem, Aquela que mesmo após a sua morte, nunca nos abandonará.

Desde os tempos mais antigos, a exemplo do profeta Isaías e de sua parente Isabel, os cristãos passaram a chamá-la de Mãe de Cristo e Mãe de Deus. Esta denominação vem do facto de Ela ter dado vida e corpo Àquele Que sempre foi e sempre será o Deus verdadeiro. A Sagrada Virgem Maria é por si só um grande exemplo para ser seguido por todos os que querem agradar a Deus. Ela foi a primeira quem se decidiu inteiramente a dedicar a sua vida a Deus.

Ela demonstrou que a sua voluntária condição de Virgem está acima da vida em família e do casamento. Seguindo o seu exemplo, a partir dos primeiros séculos, muitos cristãos optaram por viver as suas vidas na castidade, virgindade, em orações, jejum e pensamento em Deus. Assim surgiu e se consagrou a prática dos conventos e mosteiros. Que pensar do mundo contemporâneo, que absolutamente não valoriza e até humilha a virtude da castidade, virgindade, esquecendo as palavras de Cristo: "Há eunucos que a si mesmo se fizeram eunucos por amor do reino dos céus. Quem pode compreender, compreenda!" (Mat.19:1-2) ?!. Resumindo este breve relato da vida terrena da Sagrada Virgem Maria, é necessário dizer que Ela, em Seu momento máximo de graça e alegria, quando foi escolhida para ser a Mãe do Salvador do mundo e também no momento da sua máxima dor aos pés da cruz (conforme profecia de Simeão "Seu coração foi dilacerado") demonstrou total autocontrole. Assim, Ela demonstrou toda a força e beleza de suas bençãos e graças: Fé inabalável, paciência, coragem, esperança em Deus e amor a Êle, aceitação. Por isso nós, cristãos ortodoxos, temos um imenso respeito, admiração e consideração por Ela e esforçamo-nos por imitá-La nos seus exemplos.

 

As aparições recentes

da Mãe de Deus

 

Desde os primeiros dias após o seu falecimento até aos dias de hoje que a Sagrada Virgem Maria ajuda aos cristãos. Prova disso são os seus inúmeros milagres e aparições. Vamos narrar alguns deles:

 

O Dia da Protecção da Mãe de Cristo foi fixado como lembrança da visão que Santo André teve da Virgem Maria, cobrindo com o seu véu os cristãos no templo na cidade de Blachernae durante o ataque pelos inimigos a Constantinopla no século X. Às 4 horas da manhã Santo André viu uma impressionante e majestosa imagem da Virgem Maria, caminhando a partir do altar no templo, apoiada por São João Baptista e pelo apóstolo João com inúmeros outros Santos caminhando à sua frente e outros tantos seguindo-A, e cantando diversos hinos. Santo André aproximou-se de seu assistente Epifânio e perguntou-lhe se ele também estava a ver a Mãe de Cristo. "Vejo" - respondeu Epifânio. Enquanto eles olhavam Ela, ajoelhando-se no centro da igreja, rezou durante longo tempo, derramando muitas lágrimas. Depois Ela aproximou-se do altar e rezou pelos cristãos. No fim das Suas orações Ela tirou de sua cabeça o véu que A cobria, abriu-o e estendeu-o sobre todos os presentes. A cidade foi salva. Santo André era de origem eslava e o povo russo tem uma grande consideração por este feriado santo - o dia da Protecção da Virgem, em homenagem ao qual foram construídas muitas novas igrejas.

 

Outros factos posteriores relativos a este tema das aparições da Mãe de Cristo, foram relatados principalmente pela imprensa internacional. A igreja ortodoxa russa ainda não se manifestou a este respeito e nós utilizamo-los como informação adicional:

Um pouco antes da revolução na Rússia, a 13 de maio de 1917, a Mãe de Cristo apareceu a 3 crianças filhos de pastores, em Fátima , Portugal. Depois disto, Ela apareceu às crianças durante vários meses, cercada de muita luz. Vinham pessoas de todas as partes de Portugal, em quantidades que variavam entre 5 até 18 mil pessoas para ver as suas aparições. Um milagre inesquecível aconteceu quando, após uma chuva muito forte, subitamente surgiu uma luz impressionante e todas as roupas dos presentes secaram imediatamente. A Mãe de Cristo chamava as pessoas à confissão de seus pecados, ao arrependimento e previu o futuro da Rússia saindo do ateísmo e retornando à crença em Deus.

Desde 2 de Abril de 1968 e durante o período de um ano, a Virgem Maria, apareceu numa cidadezinha chamada Zetune, perto do Cairo, no Egipto, sobre um templo que lhe era dedicado. As suas aparições, que ocorriam entre meia-noite e cinco horas da manhã, atraiam uma imensa quantidade de fiéis. A Mãe de Jesus aparecia cercada de luz, às vezes intensa como o Sol e em volta voavam pombos. Rapidamente todo o país tomou conhecimento das aparições da Virgem Maria e o governo tomou providências para que as multidões que lá se juntavam tivessem um comportamento adequado. Sobre estas aparições, os jornais locais publicavam materiais em árabe. Devido a estas aparições foram realizadas inúmeras entrevistas à imprensa, onde as pessoas comentavam as suas impressões e o que tinham ouvido Dela. A Mãe de Cristo também apareceu a algumas pessoas individualmente nas redondezas do Cairo, por exemplo visitando o patriarca Copta, que até então duvidava da veracidade de suas aparições. Durante suas aparições aconteceram inúmeras curas, testemunhadas por médicos locais.

O jornal Washington Post de 5 de Julho de 1986 menciona novas aparições da Mãe de Cristo sobre a igreja de Santa Damiana, no bairro de operários da cidade Terra Gulakia, ao norte do Cairo. A Virgem Maria segurava nos Seus braços o Menino Jesus e era acompanhada por vários santos, entre eles a Santa Damiana. Como nos anos anteriores, durante a aparição da Mãe de Cristo tiveram lugar numerosos milagres de cura de doenças incuráveis como por exemplo, cegueira, doenças nos rins, coração e outras.

Em Junho de 1981, a Mãe de Cristo começou a surgir perante pessoas na montanha de Mejdugorie, na Jugoslávia. Às suas aparições acorriam às vezes 10.000 pessoas. As pessoas viam-na no centro de uma luz sobrenatural. Depois, estas aparições cessaram e a Mãe de Cristo começou a regularmente a aparecer perante 6 jovens e a conversar com eles. Mejdugorie transformou-se num lugar de constantes peregrinações com origem nos mais diversas partes do mundo. Sobre estas aparições foram escritas muitas reportagens pela imprensa local, italiana e de outros países. A Mãe de Cristo revelou a pouco e pouco a esses jovens 10 mistérios que eles, em seu devido tempo, deveriam comunicar aos representantes da igreja. A Mãe de Cristo prometeu que. 3 dias após Ela comunicar o Seu último mistério, Ela deixaria uma marca visível para os ateus. Autoridades da medicina e autoridades de outras áreas atestaram que os jovens que viam a Mãe de Cristo eram absolutamente normais e as suas reacções perante as aparições eram correctas. Frequentemente a Mãe de Cristo, chorando, falava aos jovens da importância da paz no mundo. "Paz, Paz! O mundo não será salvo, se nele não for estabelecida a paz. A paz somente existirá, se as pessoas encontrarem Deus. Cristo é vida. Aqueles que passarem a acreditar Nele, conquistarão a Vida e a Paz. As pessoas esqueceram as orações e o jejum, muitos cristãos pararam de orar."

É interessante ressaltar que em Mejdugorie, onde antes dominava o ateísmo e existiam inúmeros comunistas, após as aparições todos os habitantes se tornaram crentes e abandonaram o partido comunista. Directamente ligados às aparições da Mãe de Cristo em Mejdugorie, aconteceram muitos milagres e curas. As aparições continuaram.

Na Páscoa em 1985, na cidade de Lvov, durante uma missa rezada pelo Metropolita João na catedral da Sagrada Mãe de Jesus, frente a uma enorme multidão de fiéis, subitamente através da fresta de uma das janelas surgiu uma nuvem, luminosa como um raio de Sol. A pouco e pouco esta nuvem foi tomando a forma de um ser humano e todos os presentes reconheceram nela a Mãe de Deus. Em forte estado de graça e comoção, as pessoas começaram a orar em voz alta e implorar pela Sua ajuda. Os fiéis que estavam parados orando fora da igreja também viram naquela janela a imagem da Mãe de Cristo e queriam de qualquer maneira entrar na igreja e também passaram a rezar em voz alta. A multidão aumentava cada vez mais e mais, a notícia da aparição da Virgem espalhou-se com enorme rapidez. Todos os esforços da polícia local para dispersar os fiéis foram em vão. Começaram a afluir fiéis de Kiev, de Pochaev, Moscovo, Tbilissi e outras cidades. As autoridades de Lvov pediam a Moscou para enviar ajuda de militares e cientistas. Os cientistas entretanto chegados afirmavam que não existem milagres, para que as pessoas dispersassem. E subitamente, da imagem da Virgem soou uma voz dizendo: "Rezem, confessem seus pecados porque falta muito pouco tempo!.".. Durante a sua fala, a Virgem curou inúmeros inválidos e doentes. As aparições e as curas duraram 3 semanas e meia e Ela continuava a falar sobre a salvação das pessoas. Os fiéis não se afastavam nem de dia nem de noite.

 

 

Alguns dos ícones

milagrosos da Mãe de Jesus Cristo

 

O ícone da cidade de Vladimir - é um dos mais antigos ícones milagrosos da Mãe de Cristo. Em meados do século V este ícone foi transportado de Jerusalém para Constantinopla e no século XII foi enviado pelo patriarca da Igreja para a cidade de Kiev., para ser entregue ao Grande Duque Yuri Dolgoruki e colocado no mosteiro de Novodevichi na cidade de Vischgorod. Em 1155 o Grão Duque de Vischgorod, André, viajou para o norte, levando consigo o ícone milagroso da Virgem. Durante a viagem, eram celebradas missas de graças no caminho e aconteciam milagres. Nas margens do rio Klazmi, os cavalos usados no transporte do ícone teimavam em não sair do lugar em que estavam. O grão Duque baptizou este lugar de Bogoliubovo construiu aí 2 igrejas de pedra, numa das quais foi colocado o ícone. Em 1160, no dia 21 de Setembro, este ícone foi transportado para a cidade de Vladimir e colocado na igreja do mesmo nome. Desta data em diante, passou a chamar-se ícone da Nossa Senhora de Vladimir. Desde 1395 encontra-se em Moscovo, na catedral de Uspenskii, no lado esquerdo da entrada do altar. Este ícone tornou-se muito conhecido graças aos seus inúmeros milagres. À sua frente eram abençoados para assumirem o trono os czares russos e eram escolhidos os Metropolitas (os principais regentes da igreja). A data para a celebração deste ícone é 8 de Setembro e também 3 de Junho - (pelo novo calendário); por ocasião da defesa de Moscovo do ataque de tártaros vindos da Crimeia em 1521, o seu líder ficou aterrorizado pela visão miraculosa de um poderoso exército a postos para defender Moscovo do ataque.

 

ícone da Virgem Maria da cidade de Kazan. Em 1579, uma menina de 9 anos de idade, de nome Matrona, cuja casa paterna desaparecera durante um incêndio nesse mesmo ano, sonhou com a imagem da Mãe de Cristo e ouviu uma voz dizendo que ela deveria ir buscar este ícone, que se encontrava nos escombros da casa incendiada. O ícone foi encontrado embrulhado num tecido antigo debaixo do fogão da casa destruída. Estava enterrado, provavelmente desde a época do domínio dos tártaros na cidade de Kazan, quando os fiéis eram obrigados a esconder a sua fé. O santo ícone foi com júbilo transferido para a igreja mais próxima -a igreja de S. Nicolau., e posteriormente para a catedral da Anunciação (Blagovechenskii) onde se consagrou pela cura de cegos. Deste ícone foi feita uma cópia fiel e enviada ao czar Ivan IV (o Terrível). Em homenagem à aparição deste ícone foi fixada a data de 21 de Julho - pelo novo calendário para sua celebração.

 

O ícone Korenaia, de Kursk.( o seu nome advém de ter sido encontrada ao pé da raiz de uma árvore). A 8 de Setembro de 1295, um caçador descobriu o ícone nas margens do rio Tuskari, na região de Kursk, no chão, ao lado da raiz de uma árvore. Este caçador construiu uma pequena capelinha onde foi colocado o ícone, que começou a realizar milagres. Em 1383, os invasores tártaros vindos da Crimeia arrasaram a região e, com um machado ou espada cortaram e racharam o ícone em dois pedaços, deitaram-no fora em lugares diferentes e capturaram o padre Bogoliub que rezava missa na pequena capela. Resgatado por emissários do Grão Duque de Moscovo, o padre Bogoliub consegue localizar cada uma das metades do ícone e, assim que as encosta uma à outra, apercebe-se impressionado que o ícone se tornara milagrosamente uma única peça, como era originalmente, como se nada tivesse acontecido. Em 1597 o ícone é levado para Moscovo, a pedido do czar Feodor Ioanovich. Quando o ícone volta para a capela, é fundado um mosteiro, denominado Korennáia Pústinh. No tempo do czar Feodor Ioanovich, o ícone foi emoldurado em madeira de uma árvore chamada Kiparis. A moldura tem, entalhada, a imagem de Cristo na parte superior, e em cada uma das partes laterais, os profetas. Este ícone através de uma visão milagrosa salva a cidade de Kursk do ataque e domínio dos polacos, em 1612. Os moradores de Kursk, como expressão da sua gratidão, constróem o mosteiro de Znamenie, onde o ícone permanecia um determinado período anualmente, de 12 de Setembro até a sexta-feira da 9a. semana da Páscoa. O restante tempo o ícone ficava no mosteiro de Korennaia Pustinh. A 7 de Março de 1898 o ícone saiu intocado da explosão de uma bomba colocada ao pé dele na catedral do mosteiro de Znamenie. O ícone permaneceu totalmente ileso, apesar da destruição total em volta provocada pela bomba. Durante a revolução o ícone foi roubado a 12 de Abril de 1918 e milagrosamente achado no fundo de um poço a 1 de Agosto. A imagem foi levada para fora da Rússia em 1920 pelo bispo Feofan Kurskii e permaneceu na Jugoslávia na igreja da Santíssima Trindade em Belgrado. Grande ajuda deu este ícone durante o período dos bombardeamentos sobre Belgrado durante a 2a guerra mundial. As casas para onde o ícone era levado nunca eram atingidas por bombas, embora tudo em volta fosse destruído. Actualmente o ícone encontra-se na catedral da Mãe de Cristo de Znamenie, em Nova Iorque. Periodicamente, este ícone é levado para veneração nos mais diversos templos da Igreja Ortodoxa Russa no Exterior.

 

Os ícones da Virgem Maria que deitam lágrimas, que choram. Durante os últimos 100/150 anos surgiram diversos ícones da Mãe de Cristo que deitam lágrimas. Este milagre com certeza indica o sofrimento da Mãe de Cristo pelas pessoas em decorrência de catástrofes que se aproximam. No mês de Fevereiro de 1854, numa igreja ortodoxa na cidade de Sokol, junto a um mosteiro na Roménia, um dos ícones da Mãe de Cristo começou a deitar lágrimas. Este milagre coincidiu com a guerra na Crimeia, na Rússia. O milagre das lágrimas atraia diariamente milhares de fiéis peregrinos e acontecia todos os dias, algumas vezes de 2 em 2 ou de 3 em 3 dias.

Em Março de 1960, na família ortodoxa grega Katsunis, residente em Long Island, no estado de Nova Iorque, EUA, começou a deitar lágrimas uma litografia de um ícone da Mãe de Cristo, denominado Nossa Senhora da Paixão (ou Romana). Na altura do transporte do ícone para a catedral grega de São Paulo, durante toda viagem voavam pombos brancos sobre o veículo. Graças à grande quantidade de lágrimas, o papel onde estava impresso o ícone, enrugou-se e encolheu totalmente. Algumas dessas lágrimas pareciam de sangue. Os fiéis encostavam pedaços de algodão ao ícone, que absorviam integralmente as lágrimas. Daí a pouco tempo, na residência de uma outra família grega ortodoxa, chamada Kulis, que morava perto da primeira família, uma litografia de um ícone da Virgem Maria de Iver, também começou a deitar lágrimas. Estes dois ícones atraiam a si uma imensa quantidade de pessoas rezando. Na imprensa internacional e local foram assinalados muitos milagres, com origem nestes ícones. Um destes ícones foi cedido para investigações cientificas, para determinar a origem das lágrimas. Cientistas da Universidade de British Columbia, testemunharam o facto, mas não conseguiram explicá-lo a luz da ciência. A 6 de Dezembro de l986, o ícone da Mãe de Cristo, colocado junto ao altar na igreja de S. Nicolau em Chicago, no Alabama, EUA., também começou a deitar lágrimas. Este milagre em algumas ocasiões chega a levar a esta igreja cerca de 5.000 pessoas que querem ver o ícone, pintado há 23 anos atrás por Konstantin Yousissom, em Manhattan, N.Y. Uma comissão especialmente organizada, atestou que "nenhum tipo de mistificação tem possibilidade de estar a ocorrer perante esta evidência."

 

O ícone da Mãe de Cristo de Iver - que deita óleo / bálsamo. Um cristão ortodoxo de origem espanhola, José Muñoz, quando orava no Monte Athos, na Grécia, viu num mosteiro uma cópia do ícone da Mãe de Cristo de Iver e quis adquiri-lo. Numa primeira tentativa seu pedido foi rejeitado, mas depois inesperadamente o monge principal entregou-lhe em mãos o ícone, dizendo: "Leve-o, este ícone deve ir com você!" José trouxe o ícone para a cidade de Montreal, no Canadá, onde residia. A 24 de Novembro de 1982, às 3 horas da madrugada, o quarto de José foi invadido por um perfume intenso: na superficie do ícone brotavam gotas como orvalho de um milagroso óleo / bálsamo fortemente perfumado. O Arcebispo Vitaly do Canadá pediu que o ícone fosse trazido para a catedral. Posteriormente o ícone foi levado para outras igrejas ortodoxas. O óleo milagroso era aplicado nos fiéis pelos padres das igrejas onde eram rezadas as Liturgias. A placa de vidro que cobre o ícone era aberta para que todos pudessem constatar com seus próprios olhos o orvalho de bálsamo que se formava e escorria pela superfície do próprio ícone. Algumas vezes durante missas com grandes quantidades de pessoas, o bálsamo começava a formar-se também na superfície externa do vidro e em grande quantidade escorria directamente para o chão, invadindo o perfume toda a igreja. É importante referir que na sexta-feira da Paixão o bálsamo não aparecia, mas depois da Páscoa voltava a surgir novamente. A partir deste ícone aconteceram muitos milagres e curas. O perfume do bálsamo varia de tempos em tempos, mas é sempre muito intenso e agradável. Quem duvida de milagres nos nossos tempos devia ver este ícone: O milagre é evidente e grande! Não temos condições aqui de enumerar todos os ícones milagrosos da Mãe de Cristo. Após a revolução na Rússia, uma quantidade imensa de ícones antiquíssimos começaram espontaneamente a renovar-se perante as pessoas: Estes ícones começavam a clarear num curtíssimo espaço de tempo, ficando com aspecto de novos, como se tivessem sido pintados recentemente. Exemplares assim existem aos milhares. Milagres e sinais não acontecem sem motivos. Sem dúvida, os inúmeros milagres contemporâneos e aparições da Mãe de Cristo têm como objectivo despertar nas pessoas a fé em Deus e o arrependimento pelos erros e pecados cometidos. Porém o mundo tornou-se surdo e insensível a tudo o que é espiritual. O mundo que virou as costas a Deus, está rapidamente a dirigir-se para a sua ruína. Nestes tempos das mais variadas catástrofes, de desaparecimento e queda de crenças e valores, é imprescindível lembrar da Nossa Mãe Celestial e nossa defensora perante o trono de Deus. Sagrada Mãe de Jesus Cristo, salve-nos!

 

Orações seleccionadas

 

Nossa abençoada Rainha, nossa esperança, Mãe de Jesus Cristo, refúgio dos órfãos e desabrigados, defensora dos perdidos e desorientados. Alegria dos que sofrem, defensora dos injustiçados, olhe a nossa dor. Veja as nossas perdas, ajude-nos na nossa impotência, oriente-nos que estamos sem rumo. Você sabe o que nos falta. Apoie-nos, alivie-nos como só Você pode e deseja. Porque não temos outra ajuda a não ser a Sua. Não temos outra que nos defenda. Proteja- nos acalme-nos, só Você ó Mãe de Jesus Cristo Nosso Salvador, proteja-nos, defenda-nos por todo o sempre. Amem.

 

Avé Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco. Abençoada és Tu entre as mulheres, abençoado é o fruto de teu ventre, porque de Ti nasceu o Salvador de nossas almas!

 

Em verdade é dever consagrar Você Mãe de Jesus Cristo, sempre cheia de graças e sem pecados, Mãe de Nosso Senhor. Você é acima dos querubins e incomparavelmente acima dos serafins. A você Virgem que concebeu a Cristo, nos Te saudamos.

 

Principais datas para celebração da Sagrada Virgem Maria, Mãe de Jesus Cristo (pelo novo calendário):

Anunciação 7 de Abril

Morte 28 de Agosto

Nascimento 21 de Setembro

Protecção 14 de Outubro

Entrada no templo 4 de Dezembro.

 

 

*** *** ***

 

Mãe de Deus

e Mãe da Igreja

 

Pe. Lev Lhébedev / Tradução: V.B.

 

A Santíssima Genitora de Deus é honrada pela Igreja Ortodoxa como Intercessora por todo gênero cristão. Somente a Ela nós recorremos com a prece - 'salve nos' ao passo que aos Santos restantes nós pedimos 'orem a Deus por nós'.

Dos dois lados das Portas Régias, que simbolizam a entrada do Reino Celeste, em cada templo ortodoxo numa posição idêntica, situam-se as imagens do Salvador e da Mãe de Deus, - indicando e salientando, que o ingresso no Reino Celeste realiza-se somente por intermédio da Santíssima Virgem Maria. Também, demonstra-se que nada na Igreja realiza-se sem a Sua participação e intermediação, - do que são testemunhas os inúmeros cantos e orações da Igreja Ortodoxa. Surge a pergunta: por que tamanha significância e tal o Seu poder? Geralmente, presume-se que tudo isso provém dos traços pessoais Dela e também pelo fato de Deus ter escolhido-A para ser a Mãe do Seu Filho encarnado. É conhecido e amplamente interpretado o sentido das palavras do Salvador na Cruz, quando Ele perfilhou São João Evangelista à Sua Mãe. No entender da Igreja isso sempre significou a perfilhação de toda gente de fé à Mãe de Deus.

Agora a questão focaliza-se num determinado ponto exato, adquirindo uma nova nuança. Em que sentido deve ser compreendida esta perfilhação? Metafórico-poético, figurado ou moral, - de um cunho ético? Ou então, no mais profundo - existencial? A resposta, irmãos e irmãs, é evidente - é só prestar atenção. Nós comungamos o Corpo e Sangue de Cristo, que provém do puríssimo sangue da Mãe do Senhor Jesus Cristo. Conseqüentemente, unindo-se no Sacramento da Eucaristia a Cristo, nós entramos numa certa união com a Mãe de Deus. Esta união não pode ser entendida a não ser como filial. Em outras palavras, no Sacramento da Comunhão, nós, - semelhantes a Cristo, tornamo-nos filhos da Mãe de Deus, e não em algum sentido figurado, alegórico, mas no sentido real - sacramental. Nós nos tornamos Seus filhos consanguíneos (pelo Sangue de Cristo).

Eis um mistério da Ortodoxia. Nele as feições da Abençoadíssima pessoa da Sempre Virgem Maria comunicam-se necessariamente àquele que tem fé sincera, - bem como à Igreja Ortodoxa inteira. Estamos portanto, com razão, concluíndo que Ela é a verdadeira Mãe de cada alma ortodoxa e Mãe da Igreja. Agora, então, tornam-se compreensíveis as palavras do Salvador sobre a perfilhação de São João Evangelista e na pessoa dele, de todos homens de fé.

O povo russo, desde o tempo imemorável, sentia a maternidade da Virgem Maria com relação à Igreja e por isso chamou-A, como no seio da família, chamam a própria mãe - pela palavra carinhosa - ´Mátushka.´

 

 

 

publicado por igrejacatolicaortodoxa às 13:50
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30


.posts recentes

. IGREJA CATOLICA ORTODOXA ...

. INFORMAÇÕES DE HORÁRIOS D...

. EXPLICAÇÃO SOBRE O EXORCI...

. EXORCISMO DE PESSOAS,CASA...

. O EXORCISMO QUE CURA A AL...

. OS SANTOS ANJOS

. A RESSURREIÇÃO DE CRISTO ...

. A RESSURREIÇÃO DE CRISTO ...

. A RESSURREIÇÃO DE CRISTO

. A VENERAÇÃO DAS SANTAS IM...

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Setembro 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds